Você sabe falar a língua do mundo corporativo?

0

Você sabia que dentro de muitas empresas há uma forma peculiar de comunicação que se diferencia pela utilização de jargões? Exatamente isso. Há um vocabulário paralelo que é praticado no mundo corporativo, ou seja, nas grandes empresas, em sua maioria, multinacionais.

No período de 15 anos em que vivi 100% imersa nessas grandes corporações, não só presenciei como também utilizei com frequência esse “idioma”. Hoje, me pego muitas vezes ainda reproduzindo, como um hábito apreendido… Na verdade, impregnado.

Esse “vocabulário” que mais parece um “dialeto”, nada mais é do que uma forma sucinta de expressar uma intenção, ideia, verbo, cargo, área, metodologias e etc. Sua utilização acontece tanto verbalmente quanto na escrita dos profissionais. Inclusive, vale ressaltar que muitas delas são expressões em inglês. Caso você domine o idioma inglês terá mais facilidade para compreender, certamente. Porém, não necessariamente ficará por dentro de todos os significados quando ouvir essas expressões em uma reunião de trabalho ou de projetos.

Quando inseridos nesse universo profissional, embarcamos em conversas desse tipo em todos os lugares, nos elevadores, salas de reuniões e corredores. E, não adianta correr para os banheiros porque esse refúgio já não se salva mais. Não há tanta tranquilidade como se imagina ou se deseja encontrar. A verdade é que sempre acontecem algumas rápidas reuniõesinhas lá também e o dialeto corporativo também está presente, é lógico.  É interessante e, às vezes, até engraçado.

Aqui, contarei algumas expressões e seus significados de forma resumida.  Uma vez que você trabalhe em algum lugar onde os profissionais tenham esse hábito, você pelo menos ficará mais situado.

Essas expressões empresariais são como vírus que se multiplicam.  São muitas expressões! Poderia escrever linhas e linhas, porém, vou contar apenas algumas mais básicas.

Para compreender as próximas linhas não será necessário ler em sequência. Portanto, fique à vontade para ler as expressões na ordem que desejar.

Vem comigo!

Agregar valor: acrescentar algo, uma ideia ou benefício;
Alinhamento: deixar todos entendendo de forma igual sobre determinado assunto;
Apagar incêndio: trabalhar com prazos apertados. É quando não há planejamento;
Approach: abordagem inicial;
ASAP: o mais rápido possível;
Assessment: análise de comportamentos para ter uma visão precisa dos profissionais x seus atuais ou futuros cargos;

Background: histórico profissional. Conjunto de experiência e formação de uma pessoa;
Benchmarking: é comparar uma atividade em outra empresa e copiar as boas práticas;
Board: conselho diretor;
BPF: sigla de Boas Práticas de Fabricação;
Branding: construção da marca de uma empresa, produto ou pessoa;
Brainstorming: “toró de palpites” – uma técnica de dinâmica de grupo para explorar a criatividade de forma rápida. As ideias são livres e sem julgamentos;
Briefing: todas as informações necessárias para realização de uma determinada ação;
Budget: orçamento;
BUMO: “Brand Used Most Often”: marca ou produto mais utilizado, com frequência;
Business plan: plano de negócios;
Buying in: é a compra de uma empresa;

C2C(Customer to Customer): venda de cliente para cliente. Ex: site Mercado Livre;
Case: análise e estudo de algum caso;
Cash: dinheiro em espécie;
Clima organizacional: é o ambiente interno de uma empresa, há ferramentas para identificar;
Coach: profissional que utiliza técnicas para potencializar, identificar e desenvolver habilidades nas outras pessoas;
Coaching: é o processo que o coach (acima descrito) defineem comum acordo com o coachee (cliente);
Comitê draft: comitê de planejamento;
Commodity: produto primário, com grande participação no comércio internacional;
Competência: é a soma de conhecimentos, habilidades e atitudes em determinado assunto ou comportamento;
Chairman: presidente do conselho que dirige a empresa;
CRM – Customer Relationship Management: é uma ferramenta de Gestão de Relacionamento com o Cliente;
Compliance: agir de acordo com regras ou comandos. Assim, qualquer desvio em relação à política dos produtos é identificado e evitado;
Conhecimento explícito: pode ser absorvido facilmente por meio de livros e revistas;
Conhecimento tácito: está ligado à experiência pessoal e envolve valores e habilidades;
Core business: principal negócio da empresa;
Counseling: aconselhamento de carreira.
CEO  Chief Executiver Officer: diretor Executivo ou Geral  é o cargo mais alto da Cia;
Crosselling: técnica de vendas na qual um vendedor tenta vender mais de um produto;
Customizar: personalizar algo, produto, processo, serviço ou, uma apresentação;

Dado: a descrição exata de algo ou de algum evento;
Dead line: data, dia ou hora em que alguma coisa precisa ser concluída;
Disruptiva: empresas que entram no mercado “por baixo”;
Downsizing: redução no número de funcionários e hierarquia de uma empresa;
Dumping: prática comercial desleal.  Uma empresa vende seus produtos por preços extraordinariamente baixos para prejudicar e eliminar a concorrência;
E-learning : treinamento através de softwares em salas de aula virtuais;
Educação continuada: cursos de aperfeiçoamento referentes à atividade do funcionário;
Empowerment: é delegar poder decisão, autonomia para os funcionários;
Endomarketing; são ações para conscientizar, informar e motivar os funcionários;

Feedback : é uma técnica para falar diretamente para o funcionário sobre o seu desempenho, conduta ou a respeito de uma eventualidade;
Fine tuning: sintonia fina e calibragem;
Follow-up: significa acompanhar o andamento de um trabalho, projeto ou cliente;
Forecast: previsão;
Full time: designa que determinada tarefa será realizada por tempo integral;

Gap: quando é detectada uma falha, carência ou necessidade não atendida;

Hands-on: com participação ativa;
Headcount: número de pessoas que trabalham em determinada equipe ou empresa;
Head: é o profissional que lidera uma área, um departamento ou um projeto;
Headhunter: caça-talentos do mundo corporativo;

Inclusão social: forma de trazer à sociedade pessoas portadoras de deficiências físicas;
Input: refere-se à entrada de dados;
Insight: momento em que novas ideias surgem, percepção que acontece como um “estalo”;
Interface: mediação;

Job description: todos os detalhes das tarefas e responsabilidades de um cargo;
Job rotation: rodízio de funções para o funcionário ter novos conhecimentos em setores diferentes;
Just-in-Time ou JIT: significa que deve ser feito na hora exata nem antes e nem depois;

Kaizen: conceito de administração japonesa que significa processo de melhoria contínua;
Kick-off: reunião para informar e motivar as pessoas envolvidas em algum projeto;
Key user: aquele que conhece os recursos de uma determinada ferramenta tecnológica;
Know-how: conhecimento;
KPI (Key Performance Indicator): indicador de desempenho;

Market share: fatia de mercado, ou participação no mercado;
Markup: sobrepreço, acrescentado ao preço final do produto;
Mapeamento de perfil: levantamento do perfil profissional do funcionário;
Melhoria contínua: é um componente da Qualidade Total;
Mentoring: profissional mais experiente que acompanha e passa para o mais novo;
Meritocracia: sistema de recompensa e/ou promoção fundamentado no mérito pessoal;
Merchandising:conjunto de atividades de marketing parapromover marcas ou produtos;

Nepotismo: favorecimento de parentes por parte de quem tem cargo de liderança;.
Networking: rede de contatos profissionais e relacionamentos;
Newsletter: boletim de notícias;

On the job: é o desenvolvimento de capacidades profissionais dentro do próprio trabalho;
OOO (Out of Office): “ou-ou-ou” quer dizer nada mais do que ausente do escritório;
Outplacement: benefício que uma empresa oferece ao ex-funcionário, para sua recolocação em outra empresa;
Outputs: obtenção de dados como resultado da operação de algum programa;
Outsourcing: contratação de mão de obra terceirizada por parte de uma empresa;

QS – Quociente de Sucesso: é a soma de qualidades, valores e maneira de levar a vida;

PSC: para Seu Conhecimento – o mesmo que FYI – For Your Information
Paradigma: exemplo que serve como modelo e padrão;

Pensar fora da caixa ou sair do quadrado: pensar de forma diferente, deias ousadas;
Performar: derivação do termo “performance”, significa ter um bom desempenho;
Performance: atuação e desempenho;
PhD: Doctor Philosophy. No Brasil, é equivalente ao doutorado;
Política de Portas Abertas: liberdade que a organização dá ao funcionário de ter acesso às lideranças;

Reengenharia: método usado para mudar os processos internos e, às vezes, pessoas;
Resiliência: capacidade de se adaptar às mudanças;
Responsabilidade social: atuação e consciência do papel das empresas como agentes sociais no desenvolvimento do ser humano e da comunidade;

Schedular: aportuguesamento de “schedule”, agenda, em inglês. É o mesmo que agendar, marcar uma reunião ou um evento;
Startar: é o bom e simples “começar”, “dar início” a um projeto;
Sinergia: ação positiva e simultânea de um grupo de pessoas na realização de uma atividade;
Skill: habilidade;
SLA – Service Level Agreement: contrato entre um fornecedor de soluções tecnológicas e um cliente;
Spread: taxa de risco;
Stakeholders: geralmente são os acionistas, quem decide ou donos de um projeto;
Start-up: início da operação;
Stand-by: esperando;
Status quo: situação atual do ambiente interno da empresa e seus processos internos;
Stock Options: incentivo a funcionários para comprarem ações da empresa por um preço abaixo do mercado;
Supply Chain: cadeia de abastecimento;

Target: alvo e público-alvo;
Team building: trabalho para motivar, integrar e formar equipes;
Top of mind: marca ou produto mais lembrado espontaneamente;
Training on the job: treinamentos feitos com as tarefas práticas do funcionário;
Trend: tendência;
Trainee: profissional em treinamento;
Turnover: um indicador de admissões e desligamentos de profissionais em uma empresa;

Workaholic: profissional viciado em trabalho;
Workflow: fluxo de informações e tarefas;
Workshop: treinamento ou palestra.

Boa semana para todos!

Ana Paula Pingarilho