A Deliveria é vendida e jovens empresários contam como ter sucesso

0

Três jovens empresários londrinenses vão dar um passo grande nos negócios: vender a startup A Deliveria, com menos de três anos de fundação, para a maior empresa de delivey online do Brasil, a iFood, que atua em 40 cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Roberto Moreira, 28 anos, Gabriel Lorencette, 26, e Marlon Pascoal, 25, fecharam a venda do site e aplicativo de delivery online no final do mês de abril.  “O primeiro contato com a iFood foi realizado no final de 2014 e chegamos a um denominador comum em abril”, conta Roberto, mas sem revelar o valor da venda.

Segundo Roberto Moreira, a A Deliveria tem 150 estabelecimentos cadastrados e atende, atualmente, 15 mil pedidos por mês, sendo o delivery online que solta mais pedido no estado do Paraná. A faixa etária que mais pede comida online é de 18 a 32, com o maior público feminino. Em 2014, a empresa movimentou 3 milhões de pedidos e, em 2015, espera movimentar 5 milhões. Cerca de 40% dos pedidos são feitos pelo aplicativo – lançado em novembro do ano passado.

Os três empresários continuam na operação da empresa até setembro deste ano e, antes de entregarem, vão expandir para Maringá e Joinville. A base de dados, de contatos e todas as funcionalidades da empresa londrinense passa a ser integralmente do grupo iFood no dia 1º de outubro. Roberto Moreira garante que para o usuário final não muda nada. “Nem o nome ‘A Deliveria’ deve mudar”, afirma.

A história de sucesso de Gabriel, Roberto e Marlou pode ajudar muito jovens universitários que desejam começar o próprio negócio. Veja como foi a trajetória dos três jovens empresários.

Como começou
A ideia de um delivery online começou com Gabriel, formado em Gastronomia. Ele viu o formato em uma viagem à Inglaterra e percebeu que não tinha nada parecido no Brasil. Os três amigos se reuniram e começaram a trabalhar cada um na sua especialidade. “O Gabriel, na área de Gastronomia, tinha os contatos de algumas empresas e ficou no comercial. O Marlon, com mestrado em Engenharia Elétrica, focou no desenvolvimento do software e na programação. E eu fiquei na área de marketing e design”, conta Roberto

No começo, cada um dava 100 reais por mês para pagar todas as despesas e, em julho de 2013, o site tava no ar, feito cem por cento por eles.

Em janeiro de 2014, conseguiram um investidor e também foram selecionados para ficar encubados na Agência de Inovação Tecnológica da UEL (Aintec), o que ajudou muito, segundo Roberto. “A gente só tinha conhecimento técnico. A UEL e Aintec entraram com a parte de gestão. Com assessorias e consultorias, eles ensinaram como fazer modelo de negócios, como contratar funcionários, fazer seleção, coisas contábeis”, explica.

Roberto alerta que é importante um bom plano de negócios para quem está começando. “Ele é fundamental para quando você quer arrumar um investidos, fazer uma fusão. Mas claro, tem que ser um bom e realista”. E explica que, para começar um negócio, não é preciso fazer algo totalmente autêntico. “As pessoas buscam uma ideia original. Mas não é preciso ficar preso a ter uma ideia nova, original. Não é querer lançar um novo Facebook”, brinca. “A moral da história para mim, é executar algo melhor que alguém já fez”, afirma Roberto Moreira.

Atualmente, a equipe da A Deliveria tem sete pessoas. Todos se desligam da empresa a partir de outubro e estão prontos para ter sucesso em novos projetos.