Pense sobre a importância da ética em sua vida profissional

0

O ser humano tem carências que se alimentam das relações sociais. É um ser histórico que vive em sociedade, com costumes e manifestações culturais. Cada grupo em que convivemos norteia os nossos atos morais e determina o cumprimento de um determinado dever.

Essa realidade é muito observada nas interações profissionais. Por exemplo: como “eu” faria sucesso sem as outras pessoas me validando como uma pessoa de sucesso? Como “eu” seria líder de concorrência se não existisse uma competição dentro do mercado em que atuo? Como seria “eu” uma pessoa de poder, que manda e desmanda, se não existissem os “meus” subordinados? … E, por ai, vai!

A dificuldade de viver isoladamente é um fato. Existir sozinho compromete a desenvoltura de todas nossas dimensões humanas. A cultura que valoriza o trabalho e o trabalhador, por exemplo, cria no sujeito uma dimensão social da atividade produtiva. Isso porque o mercado de trabalho exige cada vez mais de quem está na busca por um espaço e impõe a constante atualização de quem já está inserido nele. Portanto, saber se posicionar e interagir adequadamente, nesse meio, torna-se cada vez mais difícil e ao mesmo tempo mais exigido, quase sendo um diferencial.

O trabalho é fundamental em nossas vidas, seja ele qual for, pois através dele determinamos o status e nos realizamos profissional e socialmente. Dentro desta perspectiva, o trabalhador precisa receber incentivo moral e salarial por parte da administração e, em contrapartida, necessita desempenhar sua atividade com esmero estabelecendo um relacionamento de confiança com toda a equipe. O profissional torna-se agente de si mesmo, quando investe em seu aperfeiçoamento, traçando metas e procurando atingir os objetivos dentro dos anseios da coletividade, pois sozinho ele não prospera.

Ética profissional, portanto, significa tudo aquilo que ajuda a tornar melhor o ambiente para que venha a ser uma moradia saudável.

Interessante notar que nós, assim como os animais, temos instintos que funcionam como leis universais. São princípios que regem todos os cantos do mundo como uma bússola única, apontando o norte para uma vida correta e bem vivida. Exemplo de alguns princípios universais: respeito ao próximo, justiça, verdade, honestidade, amor, entre outros.

Esses preceitos desempenham o papel de um código de conduta universal, que uma vez honrados e praticados proporcionam o bem estar comum em um ambiente harmônico. Proporcionam uma atmosfera saudável que favorece a produtividade, a criatividade, a relação ganho-ganha e resultados consistentes. São ganhos relevantes em qualquer ambiente de convivência, inclusive no meio profissional.

Não temos como fugir: a vida humana significa convívio. E, é justamente na convivência, na vida social e comunitária, que o ser humano se descobre e se realiza enquanto um ser moral e ético. É na relação com o outro que surgem os problemas e as indagações morais: o que devo fazer? O que não é certo que eu faça? Como agir em determinada situação? Como me comportar perante o outro? Diante da corrupção e das injustiças, o que fazer? Frente aos meus interesses e aos interesses do outro, como devo proceder?

Frequentemente, passamos por situações que nos colocam na “berlinda” para decidirmos seguir uma postura ética (=correta) ou assumirmos uma atitude fora da “conduta subliminar”.

Traduzindo o conceito de Ética

Ética vem do grego e significa a morada humana. A ética é aquela coisa que aparece ou some um segundo após sua decisão de como agir. Eu diria que é a nossa consciência quando queremos escutá-la.

Ética é um aglomerado de normas e valores que regem uma sociedade. E deve necessariamente refletir a consciência e as ações um grupo de pessoas, assim como trazer consigo o tipo de organização que alimenta essa sociedade.

Todos nós vivemos, muitas vezes, situações concretas que provocam escolhas e atitudes. São questões que dizem respeito às suas ações e comportamentos – os quais exigem uma avaliação, um julgamento, um juízo de valor entre o que socialmente é considerado bom ou mau, justo ou injusto, certo ou errado, pelas normas vigentes.

Imagine viver em uma sociedade sem regras e sem ética? Sem limites? Então, na verdade, a ética é uma reflexão crítica sobre a moralidade.

E o que é moralidade?

A moral se traduz em normas aceitas íntima e livremente pelos indivíduos, por convicção pessoal, sendo reconhecidas como obrigatórias por refletirem os princípios, valores e interesses dominantes na sociedade na qual estão inseridos.

Ética e moral, portanto, são diferentes, embora guardem estreita relação. Dizem alguns papas no assunto que a “missão” da ética é explicar a moral e, assim, termina por influir na própria moral, ou seja, nas decisões e nos comportamentos.

Ética no trabalho significa que você pode perder dinheiro em prol da sua liberdade de expressão e crenças pessoais. É respirar bem mesmo perdendo dinheiro… Ou é ganhar muito dinheiro e perder o ar, porque agiu inadequadamente e contra a essência das leis universais.

Sendo assim, a ética deve, ou pelo menos deveria, ser incorporada por todas as pessoas, tendo como princípio uma atitude diante da vida social cotidiana, capaz de julgar criticamente os apelos da moral que vigoram em nossa sociedade. Porém, a ética, tanto quanto a moral, não são um conjunto de verdades fixas e imutáveis, mesmo porque, a ética sempre se movimentou dentro de um contexto histórico. Ética, na verdade, é um tema que dá “pano pra manga”. Tema que gera muitas discussões é alvo de estudiosos e assunto de pauta em grandes congressos e seminários.

Trouxe a ÉTICA para essa coluna, pela importância e também pelo “tumulto” que o tema traz.

No mundo profissional a ética é vista como uma competência master.

Estude a respeito! Pense a respeito! Analise a “ética particular” dos locais onde vive. É um excelente exercício!

Lembre-se: refletir sobre a ética é contribuir para aumentar a reflexão sobre a ação humana, tornando-nos mais sensíveis e mais sensatos, porque ela nos aproxima da realidade e nos torna mais conscientes das ações que praticamos em qualquer espaço da nossa vida.

Você “obedece” a algum código de conduta? Leis familiares? Regras de comportamentos onde estuda ou onde trabalha?

Afinal, o que é ética para você?

Aja de acordo com seus princípios e assuma suas decisões, mesmo que isso implique ficar contra a maioria.

Boa semana para todos!